QUEM SOMOS?

Uma torrefação e escola criada por mulheres. Aqui o espaço é de acolhida e compartilhamento. Oferecemos cursos de baristas, consultorias e mentoria em torra, além de ter nossa marca própria para abastecer sua cafeteria. Tudinho com grãos produzidos unicamente por agricultoras! Veja, abaixo, quem somos nós, as fundadoras da Punga:

Keiko Sato, por Elis Bambil

A Keiko, além de uma profissional incrível, pois é competente e respeitada no meio do café, é minha mentora, professora, amiga e sócia. Ela é uma pessoa extremamente organizada, metódica, engraçada, que sabe respeitar o tempo do outro. Se eu pudesse destacar apenas uma qualidade dela com toda certeza seria a sua generosidade, e não só em relação ao café, mas em tudo na vida. Contudo, mesmo com tantas qualidades, ela pode ser um tanto desatenta vez ou outra, mas até aí, quem não é?

Lembro da primeira vez que eu a vi. Ela estava no mezanino da cafeteria onde eu ia trabalhar, dando cursos. Apesar de ser tão pequena em altura, eu sabia que ela era FODA e que eu tinha muito o que aprender com ela.

Lá, a Keiko era responsável por cursos e treinamentos, além de cuidar da qualidade dos cafés servidos nas unidades. No meio disso, acabou se tornando uma mentora para mim. Mesmo quando diziam que essa não era função dela, ela sempre estava disposta a ensinar quem quisesse e tivesse realmente interesse no que ela tinha a dizer. Em sua, uma professora nata.

Apesar de tantas diferenças, a gente consegue ser muito parecidas. É por isso que nós escolhemos abrir uma marca. A Keiko tem uma visão de negócios muito parecida com a minha: uma visão mais humana sobre a cadeia de café, desde o produtor até o barista, sem transformar pessoas em números ou os processos em algo tão mecânico. Com a abertura da Punga, eu espero que a gente cresça juntas, tanto como sócias profissionais, mas também como pessoas e amigas.

Elis Bambil, por Keiko Sato

Ela gosta de um detalhe. Uma vez, pedi que Elis ensinasse uns métodos para uma moça. Fiquei observando. Elis gesticula muito quando está ensinando, por causa disso, parece até fluente em LIBRAS. Em um momento, ao abastecer a chaleira com água quente, sinalizou: “Sempre vira os furinhos pra lá, o vapor pode queimar um pouquinho”. Essa é ela. Atenta, cuidadosa e amorosa. Então, ao final da árdua missão que dei, me agradeceu: “Eu acho que eu estava precisando disso, obrigada”.

Elis nasceu em Campo Grande, apesar do olhar paulistano. Gosta de fugir da vida urbana e se esconder no meio do mato. Ela diz que se recarrega em meio à natureza. Não é à toa que escolheu estudar Biologia. Talvez isso complemente tudo que ela é.

Conheceu o café especial em um intercâmbio na Austrália. E o país teve influência na paixão que a Elis sente pela profissão, já que lá quase só se vê cafeterias independentes na rua e é forte o hábito de se tomar café fora de casa. Além de ser um país que tem fama de exigente na qualidade de grãos, torra e preparo. Ela teve boas influências.

A primeira vez que a vi, ela me olhou de rabo de olho. Sorte dela – e minha – eu não ter ficado com medo. Esse olhar virou o mais curioso e amoroso que eu pude ver na vida. É do tipo que me motiva a continuar. Ela tem sede de aprender e me dá sede de aprender para poder ensinar mais. Qualquer um dos cursos que já tenha feito, nunca será nada perto do seu olhar curioso. Um olhar que pode fazer o café e a vida mais simples, inclusa e acessível para todos.

Gostou de saber quem nós somos?

Então, confira mais sobre o que estamos produzindo na nossa linha de cafés, cursos e serviços. E nos encontre também no Instagram @pungacafes.